Combate à fome no Brasil

Ainda nos dias de hoje podemos observar que tem gente passando fome e extrema pobreza.

Em minha opinião sincera não consigo acreditar, que com a quantidade de comida desperdiçada e jogada fora todos os dias se possa ouvir isto.

Nos canais de TV mostram os grandes “master chefes” preparando comidas floridas e cheias de frescura e com um desperdício inigualável.

E as nossas leis criam regras onde um restaurante ou uma churrascaria tem que jogar tudo fora mesmo sem uso embalado por conta de pessoas que nunca sentiram fome antes.

Infelizmente a disparidade entre rico e pobre é muito grande, principalmente no Brasil.

Os nossos governantes e políticos falam muito e erradicar a pobreza que tem no Brasil. Mas como? Se eles quisessem isto.

Embora muitos órgãos falam que o Brasil conseguiu praticamente eliminar a pobreza extrema e fez isso mais rápido que seus vizinhos. Segue abaixo um texto onde o Banco Nacional diz isso.

“Ao todo 25 milhões de pessoas deixaram de viver na pobreza (extrema ou moderada), isso representa uma em cada duas pessoas que saíram da miséria da América Latina. e no Caribe entre 1990 e 2009. Os autores explicam que, até 1999, os índices de pobreza extrema no Brasil e no restante da região eram semelhantes e rondavam os 26%. Foi em 2012 que a instituição começou a observar uma maior redução em território brasileiro: 9,6% ante 12% do restante do continente.

A instituição explica as causas dos bons resultados.  A primeira é o crescimento econômico a partir de 2001, iniciado durante o mandato de Fernando Henrique Cardoso, “bastante mais estável que o registrado durante as duas décadas anteriores”. Em segundo lugar são elogiadas as políticas públicas que têm como objetivo a erradicação da pobreza como bolsa família, que oferece uma modesta renda mensal em troca da escolarização dos filhos, ou o Brasil sem Miséria, pensado para os mais pobres. Em último lugar se destaca o mercado de trabalho nacional, onde as taxas de emprego formal aumentaram 60% e a evolução do salário mínimo.

Essas associações que fazem essas pesquisas acho que estão furadas. Observe o jornal que não é partidário ou político que eles vão mostrar um Brasil que a gente nem sonha, gente modestas que procuram plantar, pescar para conseguir o pão de cada dia.

Ou aquelas famílias que moram no nordeste que estão passando por seca, que a alimentação dos mesmo são aquele cactus cozidos porque não tem outra coisa para comer onde o gado já se foi a água nem uma gota tem.

Ao invés de fazer pesquisas e criar associação que só recebem o dinheiro e escrevem baboseiras deveriam realmente, ir até lá para ver e fazer algo.

Vamos pensar em um governador, prefeito, presidente quanto deles pegam um transito, vão a feira, fazem mercado, Nenhum.

Existe várias maneiras para poder acabar com a fome. Primeiro é dando trabalho digno não miséria de receber um valor irrisório de bolsa família, onde as pessoas se acomodam e quem recebe não é quem precisa e sim quem tem  “amigos”, porque a burocracia é tão grande que quem precisa mesmo não consegue receber.

Outro dia mostrou no jornal do  que plantamos aproveitamos muito pouco porque o resto ou é jogado fora ou perdido. Precisamos mudar isto. No Brasil e no mundo.