Ainda os direitos humanos e o ENEM

Leiam bem isto:

  • defesa de tortura;
  • mutilação;
  • execução sumária;
  • qualquer forma de “justiça com as próprias mãos”;
  • incitação a qualquer tipo de violência motivada por questões de raça, etnia, gênero, credo, condição física, origem geográfica ou socioeconômica;
  • explicitação de qualquer forma de discurso de ódio (voltado contra grupos sociais específicos);

Isto será aceito sem problemas nas redações do ENEM em 2017, por força de decisões judiciais nas mais altas esferas do Judiciário do Brasil

Acreditamos que a liberdade de expressão é, sim, parte importante da democracia moderna.

É a pedra fundamental sobre a qual todas as outras pedras da sociedade se assentam e ficam unidas.

A liberdade de expressão é o que diferencia nossa vida em um regime democrático ou em uma ditadura nefasta.

É o que nos permite apontar erros de governantes para que sejam consertados.

É a liberdade de expressão que nos permite escrever aqui.

Porém não podemos aceitar que os crimes acima sejam “enaltecidos” em redação que justamente versa sobre direitos humanos.

Tortura é crime – a imposição de dor física ou psicológica apenas por prazer, crueldade, como forma de intimidação, ou meio para obtenção de confissão ou alguma informação. É delito imprescritível, inafiançável, não sujeito a graça e anistia como está no Artigo 5º inciso XLIII da Constituição Federal.

Mutilação é crime…

Execução sumária é crime…

Incitação à violência é crime…

Discurso de ódio é crime…

Apologia ao crime … é crime, óbvio !

Em resumo, tudo o que o INEP considerava como condição para zerar a redação do ENEM é crime previsto nas Lei Brasileiras e Internacionais.

Então como podemos aceitar que à titulo de manter a “liberdade de expressão”, permitamos que enaltecer tudo o que está descrito acima seja parte de uma redação sobre “Direitos Humanos”?

E que ainda seja considerado “normal” e que receba uma nota ? Estamos premiando o que ?

É patético, e o que é pior, é uma situação que beira o surreal.

A “liberdade de expressão” pode permitir que alguém incentive e peça pela morte de negros ?

A “liberdade de expressão” pode permitir que alguém peça pela supressão de direitos ou morte das mulheres ?

A “liberdade de expressão” pode permitir que alguém sugira que se mutilem ou matem pessoas ?

A “liberdade de expressão” pode permitir que alguém diga que devem ser segregados ou mortos os homossexuais?

A “liberdade de expressão” pode permitir que alguém possa matar as pessoas que não professam a mesma religião que você ?

A “liberdade de expressão” pode permitir que alguém pense em novamente confinar judeus em campos de concentração ?

O que dissemos acima são aberrações monstruosas, absurdos sobre os quais é bom que estejamos sempre alertas, para que nunca os vejamos acontecer – e não permitamos que alguém julgue que pode um dia perpetrá-los.

É momento de repensarmos o que queremos para o nosso futuro e o futuro de nossos filhos.

É o momento de criar e deixar bons exemplos de cidadania, justiça, liberdade, democracia, ética.

Sem esquecer que percorremos um longo caminho na historia da civilização, onde nos distinguimos das feras apenas por uma coisa – pela justiça.