Abuso na infância e adolescência

A criança que sofre abuso sexual na infância se torna um adulto com muitos problemas psíquicos.

Infelizmente esse abuso na maior parte das vezes acontece dentro da própria casa, com familiares e parentes próximos ou com pessoas conhecidas no convívio cotidiano.

É a situação mais comum, porém é a mais difícil de identificar e de punir os responsáveis.

É muito difícil detectar que uma criança sofreu abuso, porque ela pode achar que o que está fazendo certo, por medo de contar, por que o agressor possa ter ameaçado.

São muitas as formas para impedir que uma criança fale.

Intimidação física, psicológica, chantagem, ameaça, coação …

A primeira grande proibição: é preciso que a criança entenda ou consiga alcançar que ela não pode ter relações com seu pai, sua mãe ou algum parente próximo ou conhecido.

Se ela conseguir alcançar isto desde pequena ficará mais fácil  com que ela entenda e começa a enxergar o que pode ou não mesmo que ela sinta medo.

Se ela não entender ela poderá ficar com medo e se sentir culpada e não conseguir saber o sentido da proibição.

A consequência dos abusos costuma ser muito grande dependo de muitos fatos como a idade, quem é o abusador a duração do abuso, como foi tratado e resolvido o assunto.

Umas das formas de observar se a criança esta passando por abuso é quando ela não quer sair de casa, fica ansiosa e depressiva, fica antissocial por outro lado ela acha que aquilo é certo e pode inclusive gostar sem saber o que está sentindo, podendo muitas vezes chegar ao suicídio.

A prática do abuso sexual existe em menor ou maior escala e no Brasil todo em todos os estados.

Atinge pessoas de todas as classes sociais, não importando o grau de instrução, nível social, cultural ou financeiro.

Apesar de haver muita gente unida para combater isto junto com governos, policiais locais, associações, eles tentam buscar formas de combate muitas vezes sem sucesso.

No nordeste ainda existe o tráfico sexual onde algumas vezes para sobrevivência da família a própria família faz com que suas filhas façam o ato sexual em troca de comida.

Existem muitas campanhas contra o turismo sexual porque muitos estrangeiros vem a procura de praias bonitas, divertimento e lógico muito sexo – com crianças e adolescentes não enfrentando nenhum problema porque as próprias famílias estão de acordo.

Em Minas Gerais crianças de 10 anos são oferecidas por R$ 5,00 em plena BR,  justamente para caminhoneiros que por ali passam.

Fora isso ainda lemos noticias de “leilão” de meninas virgens que se tornam verdadeiras escravas sexuais de fazendeiros da região do Acre e Pará.

Isto é longe de casa com estranhos, porém o pior é o que muitas vezes acontece dentro de casa, onde o padrasto abusa de menino e menina e muitas vezes a mãe não acredita ou faz de conta que não está acontecendo nada para não perder o parceiro.

As vezes a mãe ainda acusa a menor de estar se oferecendo por ciúmes do companheiro.

Sendo assim fica difícil romper o silêncio e denunciar que houve abuso.

É dever de todos nós estarmos atentos e denunciar este crimes gravíssimos.

Ligue 100 e denuncie.