PREVENÇÃO PARA UM BRASIL DA MELHOR IDADE

 

Em 1990, Organização das nações unidas (ONU, deliberou uma data para comemorar o dia do Idoso, dia 01 de outubro, além de parabenizar os de melhor idade, a organização que preconiza a luta dos direitos das nações, quis chamar atenção para uma população que vem se acentuando no mundo todo; aumentando sua expectativa de vida.

Em 1982, acontece a Assembleia Geral da ONU que convocou a Primeira Assembleia Mundial sobre o Envelhecimento que resultou no O Plano de Ação internacional de Viena Sobre o Envelhecimento, contemplando ações sobre:  saúde e nutrição, proteção de consumidores idosos, habitação e meio ambiente, família, bem-estar social, segurança de renda e emprego, educação e a coleta e análise de dados de pesquisa.

Em outros momentos Assembleia de 1991; 1999 foi declarado o ano internacional do Idoso; em 2002, na Segunda Assembleia Geral em Madrid, deu diretrizes ao desenvolvimento da Política Internacional para o Envelhecimento para o século XXI; deliberando dar prioridade às pessoas mais velhas e seu desenvolvimento, melhorando a saúde e o bem-estar na velhice, e assegurando habilitação e ambientes de apoio.

“Uma sociedade para todas as idades possui metas para dar aos idosos a oportunidade de continuar contribuindo com a sociedade. Para trabalhar neste sentido é necessário remover tudo que representa exclusão e discriminação contra eles.” Plano de Ação Internacional sobre o Envelhecimento (parágrafo 19), Madrid, 2002

 

PROCESSO DE ENVELHECIMENTO

O envelhecimento é definido como um processo progressivo, no qual ocorrem alterações biológicas, funcionais, psicológicas que com o passar do tempo tendem a determinar uma acentuada perda da capacidade que o indivíduo possui de se adaptar ao meio ambiente. (Oliveira-2014)

Clicando no link acima você tem acesso a um artigo em PDF, sobre o processo do envelhecimento.

 

No Brasil o desafio aumenta, pois, um pouco mais de 30 anos o Brasil era considerado um pais feito de jovens, e hoje, somos um pais de pessoas com mais de 60 anos, e temos desafios maiores, “não estamos preparados para envelhecer de um forma geral”.

Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Em 2060, o Brasil terá 19 milhões de pessoas com mais de 80 anos.

A expectativa de vida aumentou para 75 anos na população brasileira; precisamos começar a desenvolver planos de ação para entender o processo de envelhecimento e combater o preconceito.

Quando pensamos em combater algo enraizado nas bases da discriminação e exclusão: “preconceitos” não há outro caminho de transformação que não seja a educação. Educar as pessoas para o processo de envelhecimento é o caminho com mais acertos que poderemos realizar.

 

PREVENÇÃO PARA UM BRASIL DA MELHOR IDADE

Educar e nos educarmos de forma geral; algo que envolvesse a prevenção para podermos viver um Brasil da melhor idade; certos que essa educação envolve vários itens, porém, de forma abrangente, e relevante:

Desenvolver políticas públicas que fizesse um trabalho sério de prevenção de doenças, que podem ser alcançado com projetos de vida saudável voltados para o adulto; que incluísse no processo do envelhecimento a prevenção de uma mente saudável.

Visando a educação na formação para idosos, não só para manter a mente saudável, mas, para aproveitar a mão de obra que ainda são capazes de realizar dentro de suas potencialidades; assegurando sua segurança de renda e emprego.

Preparando nossos espaços físicos para total acessibilidade para o idoso; quando se entende o processo de envelhecimento até altura de uma calçada, passa a ser notada como um empecilho para que o idoso caminhe por elas.

Acreditamos que esse desafio de preparar o mundo para um imensa população de idosos é iniciar um processo de educação preventiva que contemple desde os primeiros anos escolares de nossas crianças até os que já estão atingindo a melhor idade.

 

Deixe seu comentário, compartilhe com os amigos nas redes sociais.