Obesidade em crianças

Hoje as crianças estão com sobrepeso, um pouco culpa dos pais, outro das escolas, outro fator economia e vida moderna. Logico fora a hereditariedade ligada ‘a genética.

Em casa as crianças comem de tudo inclusive as refeições são mais rápidas possíveis. Porque os pais trabalhando fora, além de não ter tempo para fazer,  a esposa ou o pai  muitas vezes não sabe e não gosta de cozinhar partindo para lanches e refrigerantes onde o fator calórico é altíssimo mas a criança gosta e não reclama e e uma maneira de saciar a fome com rapidez e facilidade.

Na escola muitas vezes ao invés de comer uma fruta, ele compra fora antes de entrar para a aula.

Causa da obesidade

Causas da obesidade estão ligadas as mudanças no estilo de vida e hábitos alimentares de baixa qualidade, também apontando o alto consumo de guloseimas como: bolachas recheadas, salgadinhos, doces, refrigerantes e omitindo o café da manhã. Além disso nas escolas públicas muitas vezes não tem uma alimentação balanceada e nem nutricionista para fazer com que as crianças comam o que é saudável, quanto mais os alimentos para manter restritamente só alimentos que fazem bem a saúde. E o sedentarismo também contribui muito para isto. Porque hoje ao invés de correr, brincar de pique- pique ele fica na frente da TV, do computador ou celular.

As mães hoje preferem seu filho dentro de casa ao invés dele estar brincando na rua e correndo risco desnecessário da violência e o uso de drogas oferecidas inclusive na porta das escolas.

Hoje como se tornou um problema de responsabilidade pública pela falta de boa alimentação aliada ao sedentarismo precisa juntar-se pais, escolas e sociedade para soluções para o futuro dessas crianças.

Primeira coisa a se fazer seria a mudança de hábitos como alimentação e exercícios físicos. Onde tem que se começar em casa e depois nas escolas.

A importância não é só a aparência física, mas questão de saúde que com a obesidade vem a diabetes, pressão alta econômicas e psicológicas que se não forem tratadas, tende a se refletirem pela vida toda como: dificuldade emocional, em virtude das fortes pressões da sociedade para serem magros, ansiedade, depressão e baixa auto-estima. Na adolescência o visual do corpo é o grande elemento a ser observado.

Na infância, a doença pode estimular uma puberdade precoce, o que acarreta uma maturação esquelética antecipada com altura final diminuída. Embora todos pensam que é uma besteira, não é o adolescente gordinho ou gordinha, muitas vezes se deprime ficando tímido, apático e com vergonha de sair encontrar os coleguinhas e até se escondendo de um futuro possível paquera.

Essas  consequências de tendências desfavoráveis, como o isolamento ou o retraimento social, podem contribuir para a exacerbação da obesidade por meio de vulnerabilidades psicológicas que aumentam a tendência a comer demais e a atividades sedentárias. É evidente que essas tendências desfavoráveis, o preconceito e a discriminação são parte da vida cotidiana dessas crianças com sobrepeso.

Não podemos deixar que isto continue acontecendo vamos nos conscientizar e tomar uma atitude rápido.