FEMINICÍDIO – QUE AUMENTA NO BRASIL

 

Na história do nosso Brasil repleto de preconceitos e desigualdades,  violências  são cometidos contra mulheres,  de formas variadas; as violências silenciosas, como as psicológicas, violências domésticas,  partindo de seus próprios parceiros, os números são assustadores, e se pensarmos que poucas são as que denunciam, esses números se tornam aterrorizantes, esses crimes chegam as vias de fatos com o mais hediondo deles, o feminicídio , um crime que as mulheres sofrem pelo simples fato de ser mulher”

 

O QUE É O FEMINICÍDO

 

Feminicídio significa a perseguição e morte intencional de pessoas do sexo feminino, classificado como um crime hediondo no Brasil.

O feminicídio se configura quando é comprovada as causas do assassinato, devendo este ser exclusivamente por questões de gênero, ou seja, quando uma mulher é morta simplesmente por ser mulher.

Em pleno século XXI, a mulher ainda é subjugada e assassinada, como se “essa” vida humana, não tivesse nenhum valor e morrer é única sentença que alguém poderia dar a ela, e na grande maioria, são assassinadas por seus parceiros.

 

O FEMINICÍDIO NO BRASIL

O Feminicídio é um crime de ódio contra mulheres, De acordo com as Diretrizes Nacionais, no Brasil a taxa de Feminicídios é de 4,8 para 100 mil mulheres – a quinta maior do mundo, segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS); 8 mulheres são assassinadas por dia no Brasil.

Sua punição ao infrator é maior que a do homicídio, a partir da “Lei do Feminicídio” criada no ano de 2015 com base nos estudos da Advogada Criminalista Luiza Eluf.

“A conduta é matar alguém, porém, se este alguém for mulher e, se essa mulher morrer devido as condições de sexo feminino no Brasil, ou seja, devido subalternidade ou entendimento por parte do assassino, de que aquela mulher tem menos direito que ele e que aquela mulher lhe deve obediência total e ele tem o direito de vida ou morte sobre ela. Então, ele mata por esse motivo.

 

O Feminicídio em questão, é algo comprovado como extrema covardia, pois, geralmente o assassinato é a sangue frio, a mulher como sendo posse do assassino, sem nenhuma defesa.

Não pode prosperar a tese antiga e hedionda de “legitima defesa da honra”, pois a mulher não pertence ao namorado, ao pai, ao marido, a mulher é um ser humano com sua identidade, anseios, seu querer e seus objetivos.

Não podemos pensar na mulher como um “bem” que é “possuido” por outro ser – seja do sexo que este for !

O mapa da violência sobre Feminicidio de 2015 constou que, o número de assassinatos contra mulheres negras cresceu 54%, passando de 1.864 para 2.875; ou seja, o Feminicídio, por preconceito racional racial.

As Diretrizes Nacionais buscam eliminar as diversas discriminações que as mulheres são vistas como alvo: o machismo, o racismo, o eurocentrismo, entre outras até se concretizar no homicídio caracterizado como o Feminicídio.

Precisamos dar mais voz ao combate de tanta violência. Essa causa, precisa ser alimentada, por educação, auto afirmação feminino, é necessário dar segurança as mulheres para que elas possam denunciar os abusos e violências; pois com certeza homem algum acorda e diz hoje irei assassinar essa mulher, as vias de fatos, se dão, após, meses, anos de violências como o espancamento, e a violência psicológica.

Vamos denunciar toda forma de violência contra a mulher. O Feminicidio precisa ser punido e banido do nosso meio.

É necessário ser proativo no combate ao feminicidio, denunciando e expondo as diversas formas de violencia contra a mulher.

Deixe um comentário, compartilhe nas redes entre os amigos.